terça-feira, 31 de julho de 2012

Qual será a "carne" que comeremos daqui há 20 anos?




Alguns analistas calculam que o preço dos alimentos pode dobrar nos próximos cinco a sete anos, tornando itens hoje comuns, como carne, em artigo de luxo.
Veja abaixo algumas alternativas que, embora estranhas à primeira vista, são apontadas como caminhos prováveis para resolver lacunas na demanda por alimentos.



- Insetos

O governo holandês já investiu um milhão de euros em pesquisa sobre como inserir carne de insetos nas dietas de seus cidadãos e preparar leis para regulamentar sua criação.
Insetos fornecem tanto valor nutricional quanto carne de mamíferos, mas custam e poluem muito menos. Cerca de 1, 4 mil espécies poderiam ser consumidas pelo homem, compondo salsichas ou hambúrgueres.
Boa parte da humanidade já come insetos, especialmente na Ásia e África. Mas os mercados ocidentais devem resistir à ideia e vão ser necessárias grandes campanha de marketing para tornar aceitável ideia de incluir insetos como gafanhotos, formigas e lagartas no cardápio.

- Carne de laboratório

Cientistas holandeses criaram carne em laboratório usando células-tronco de vaca e esperam desenvolver o primeiro "hambúrguer de proveta" até o fim de 2012.
A produção de carne artificial poderia trazer grandes benefícios ao meio ambiente, pela redução no número de cabeças de gado - grandes emissores de CO2 - e nas áreas de floresta desmatada para a criação de pastos. A carne de laboratório poderia ser manipulada para ter níveis bem mais saudáveis de gordura e nutrientes.
Os pesquisadores holandeses dizem que a meta é fazer a carne in vitro ter o mesmo gosto que a tradicional - coisa que ainda está longe de ter.

- Algas

Elas podem alimentar homens e animais, oferecer uma alternativa em graves crises alimentícias e ainda abrem mão do gasto de terra ou água potável para seu cultivo.
Cientistas ainda apontam para o potencial de algas como fontes de biocombustíveis - o que reduziria a dependência dos combustíveis fósseis.
Alguns especialistas preveem que fazendas de algas poderiam se tornar a mais promissora forma de agricultura intensiva.
Elas já existem em países asiáticos como o Japão.

Como os insetos, elas poderiam ser introduzidas em nossas dietas sem que soubéssemos. Cientistas na Grã-Bretanha estudam a substituição de sal marinho por algas em pães e outros alimentos industrializados.
Grãos têm um forte sabor, mas com baixo índice de sal, sendo portanto, mais saudáveis.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Consumo abusivo de refrigerantes, obesidade e preconceito! "Sai dessa"!

Cartaz da Campanha de Nova York contra o refrigerante: "Não se bebe gordura"

Leiam com muita atenção esse artigo da Super Interessante:

por Rodrigo Rezende  

O gordo é o novo fumante

"Nunca houve tanta gente acima do peso - nem tanto preconceito contra gordos. De um lado, o que há por trás é uma positiva discussão sobre saúde. Por outro, algo de podre: o nascimento de uma nova eugenia.


Detrás da trincheira de copos de Coca-Cola em sua mesa, o prefeito de Nova York discursa: "A obesidade é um problema nacional. E as autoridades só esfregam as mãos e dizem: oh, isto é terrível". É apenas uma entrevista coletiva de imprensa, mas ele age como um chefe de Estado às vésperas de um combate. "É o que o povo quer que eu faça", diz o bilionário Michael Bloomberg. E ele faz: declara uma guerra. Contra o refrigerante. Sua principal arma: proibir a venda de copos maiores que 500 ml.

A nova cruzada de Bloomberg levanta uma questão: faz sentido tratar refrigerante como droga? Do ponto de vista da saúde pública, a resposta é um sonoro sim. Segundo o especialista em obesidade Robert Lustig, da Universidade da Califórnia, o açúcar que adoça refrigerantes deveria estar na mesma categoria que o álcool, nicotina, cocaína e heroína: "Ele também é uma substância tóxica com alto potencial de abuso. Por essa lógica, também deveria ser controlado". Exagero? O efeito das taxas de obesidade na economia dos EUA indica que não: US$ 190 bilhões anuais em gastos diretos e US$ 4,3 bilhões de prejuízo anual por danos à produtividade. Um quinto desse prejuízo é causado apenas pelo açúcar presente em bebidas. Ao levar em conta o estrago que os refrigerantes fazem na saúde americana, o cenário é ainda mais sombrio. Mais de 130 mil casos de diabetes, 14 mil casos de doenças coronárias, 6 mil mortes diretas e 50 mil anos de trabalho perdidos por invalidez. Tudo isso só na década de 1990.

Ok, os números deixam claro que uma latinha de refrigerante pode, sim, esconder um veneno mortal. Mas o buraco é mais embaixo: praticamente toda a indústria alimentícia explora o poder viciante do açúcar. "Quanto mais açúcar tem um produto, mais ele vende", diz Lustig. O cientista ainda aponta o uso do açúcar para disfarçar sabores desagradáveis. "Com quantidade suficiente, é possível fazer cocô de cachorro ficar gostoso. Em essência, é isso que a indústria vem fazendo". Sem dúvida, sobram argumentos sólidos para defender o controle da obesidade. Até aí, tudo parece certo com a lei de Bloomberg. Mas também é preciso analisar o quanto medidas que tentam restringir nossa alimentação se fundamentam em associações equivocadas entre obesidade e doença. Ou mesmo em puro preconceito: boa parte dos gordos não apresenta nenhum problema de saúde relacionado à obesidade. Mesmo assim, ela muitas vezes é vista como fraqueza moral. O empresário Roberto Justus, por exemplo, já afirmou que não contrataria pessoas obesas pela falta de empenho que teriam em emagrecer. E Justus não está sozinho: num estudo da Faculdade Notre Dame, na Califórnia, pesquisadores distribuíram currículos falsos entre alunos "para que eles escolhessem um novo professor". Os currículos não tinham foto, mas traziam o peso de cada "candidato". Resultado: os de 200 quilos eram preteridos em favor de concorrentes com qualificação idêntica, mas 120 quilos a menos.

Outro exemplo de preconceito são medidas extremas contra minorias, como a proibição de fumar em áreas abertas e sem aglomeração humana. Não é improvável que, num futuro próximo, o mesmo tipo de exagero cometido em leis antitabagistas radicais se estenda ao controle da obesidade. Aí, o "novo fumante" será o obeso. Para algumas companhias aéreas, aliás, eles já são: só entram no avião se comprarem dois bilhetes (reservar assentos maiores para eles está fora de cogitação, claro). A intolerância com os obesos, no fim das contas, é um grande estímulo para o abuso de medicamentos para emagrecer - o oposto do que podemos chamar de saúde.

Até aqui falamos muito do lado social do problema, mas uma questão passou batido. E o lado pessoal? Proibir alguém de tomar um balde de refrigerante ou de comer doce de cocô de cachorro não seria um atentado contra a liberdade individual? Entre os que respondem sim, está o humorista e fã de refrigerante Jerry Seinfeld: "Sou contra a proibição. Sou a favor da continuação do processo de seleção darwinística das pessoas por meio do consumo de bebidas com açúcar".

A piada de Seinfeld não tem nada de politicamente correta. Assim como abrir um refrigerante tem bem pouco de saudável. Mas não dá para negar: fazer piada politicamente incorreta e tomar refrigerante com açúcar são expressões da liberdade individual. Até que ponto é ético e correto proibi-las? Difícil saber. Mas uma coisa é certa: a resposta não será encontrada em um gabinete político."


Mentira? Exagero? Pior que não, infelizmente.

De 10 pacientes que procuram atendimento nutricional, para qualquer tipo de tratamento, 06 não bebem cerca de 03 copos de água dia (150ml), o restante completam com refrigerante.  E desses 06 pacientes 05 são classificados com pré-obesidade e obesidade.


Em 2007 foram consumidos no Brasil 14 bilhões de litros da bebida. Desse total, 91% referem-se aos refrigerantes tradicionais regulares e apenas 9% às versões adoçadas artificialmente.
Refrigerante não é suco, não é água, é uma bebida química. 

A Saúde é sua! Aprenda a cuidar dela!

Como são as células do sangue?

Jujubas?? Naaaaaaão! São células do sangue humano. Hemácias (vermelho), Linfócito (azul), Neutófilo (amarelo, maior), Macrófago (verde) e Plaquetas (amarelo, pequeno). Aumento: 3300x.




Satisfeitos? =)


domingo, 22 de julho de 2012

Receitas de águas aromatizadas – Como fazer águas aromatizadas



Uma ótima dica, para desintoxicar o corpo das calorias consumidas durante o inverno são as receitas de águas aromatizadas naturalmente. Para quem não gosta de tomar água pura o dia todo, uma ótima opção é fazer águas aromatizadas. Além de muito gostosas elas são ao mesmo tempo hidratantes, diuréticas, e, portanto, favorecem a eliminação de toxinas, além de ser uma forma de experimentar sabores inusitados.

Veja como é fácil fazer águas aromatizadas em casa:
Nas receitas de águas aromatizadas você pode utilizar tanto água filtrada ou mineral. Nessa água você pode fazer combinações com aquilo que mais te agrada. Feito isso, adicione cubos de gele e aguarde aproximadamente por 1 hora.
Confira abaixo algumas combinações que podem ser feitas:
- Galhos de uma ou mais ervas de sua preferência (alecrim, manjericão, sálvia…);
- Limões e/ou laranjas variados – em metades, quartos, rodelas, ou até mesmo fazendo espirais com as cascas;
- Especiarias de sua preferência (cravo, anis-estrelado, canela em pau…);
- Legumes fatiados ou em espiral, com a casca (pepino, abóbora, abobrinha…). Embora pareçam estranho, os sabores ficam muito sutis e percebemos somente no retrogosto, uma delícia!
- Pétalas de rosas (sem agrotóxicos) com um pouquinho de água de rosas, encontrada em lojas de produtos árabes e grandes supermercados;
Misture alguns dos itens acima (espete cravos-da-índia no limão ou na laranja, misture ervas ou gengibre com especiarias…);

Use recipientes transparentes e aproveite o belíssimo visual como parte de decoração da mesa, ou de um bar ou aparador. Com certeza, fará um enorme sucesso.
Dicas:

- Água com carambola
- Água com limão siciliano
- Água com mel, manjericão e nozes
- Água com lascas de coco
- Água com pepino
- Água com romã
- Água com laranja baiana: Adicionar uma gota de água de flor de laranjeira
- Água com hortelã: Adicionar um pouquinho de menta
- Água com rosas vermelhas à pétalas + uma gota de água de rosas. Pode ser encontrada em casas árabes e grandes supermercados

http://www.trilhacomercial.com/


Outras dicas legais:


Divirtam-se! =)

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Como saber se o ovo de galinha está fresco?


Primeiro é interessante saber quais são as partes de um ovo:



Para saber se o  ovo está fresco, antes do preparo, existe um teste bem simples.

Em um copo de água, coloque o ovo:



- AFUNDAR: está fresquinho, SUPER FRESCO!
- NO MEIO DO COPO: Fresco, utilize logo!
- BOIAR: sinto muito mas esse já era, não está bom para o consumo. 

Já o ovo estrelado, tem outra maneira: 
Esquerda: Ovo mais velho x Direta: Ovo fresco
Observe a gema, deve estar com forma de globo um pouco elevada, a clara deve estar bem junta ao seu redor, assim este ovo está mais fresco.
Quanto mais achatada a gema e mais aguada a clara, mais velho estará o ovo.

Quanto mais fresco mais saborosos.

Os ovos são uma fonte valiosa de proteínas, também contém minerais como iodo, cálcio e vitaminas A, B, C, E e K.  Os ovos possuem cerca de 75 calorias por unidade.


Evite ovos de granja, onde os frangos são criados confinados, prefira os mais saudáveis, de frangos criados soltos, sem tanto hormônio, antibióticos e estresse.

Qual a diferença do ovo branco para o marronzinho?




Em ternos nutritivos nenhum, vai depender do que a galinha comeu e em que sistema ela foi criada (confinada ou ao ar livre). Cada raça de galinha bota uma cor diferente de ovo, assim como as codornas botam ovos pintadinhos. Então não confundam ovos caipiras com ovos marrons, isso não é verdade.
Galinha caipira também bota ovo branco, assim como galinha de granja bota ovo marrom, não existem regras.
E sim, os ovos da galinha caipira criada solta sem estresse e hormônios é o mais saudável.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

7 truques para emagrecer que realmente funcionam!




Não estou falando de dietas mirabolantes que mais parecem simpatias, como comer só abacaxi ou então dar uma volta na mesa pulando com um pé só antes das refeições, mas sim de truques comprovados cientificamente, que podem ajudá-lo a perder alguns quilinhos:

1. Adoce seus alimentos com açúcar:
Pesquisas mostraram que pessoas que consomem alimentos adoçados com açúcar emagrecem mais do que aquelas que comem coisas que já vêm adoçadas “de fábrica”. Isso porque esses alimentos contém o famoso HFCS (High Frutose Corn Syrup), um adoçante feito a partir de milho que possui muita frutose. Entre os alimentos que usam a substância estão os cereais, frutas em conserva, geléia, sucos e sobremesas enlatadas.

2. Não fique viciado em porcarias:
Claro que salgadinhos, bolachas e doces podem ser irresistíveis, mas talvez elas estejam te viciando. Um novo estudo mostrou que esses alimentos afetam certas regiões do nosso cérebro da mesma forma do que as drogas. E isso resulta em obesidade. Pelo menos essa foi a conclusão de cientistas que analisaram ratos que tinham acesso ilimitado à comidas deliciosas, mas nada saudáveis.

3. Não espere muito para fazer suas refeições:
Se você demorar muito para comer entre uma refeição e outra acaba comendo mais quando têm acesso a alimento. Além disso, é mais fácil que apele para lanchinhos gordurosos enquanto espera o almoço.

4. Satisfaça seu organismo, especialmente no café da manhã:
Alguns estudos afirmam que cafés da manhã substanciosos e até mesmo gordurosos podem ser benéficos – especialmente se você fizer refeições mais leves no almoço e no jantar. Comer muito no café da manhã faz com que você sinta menos apetite o resto do dia, o que é útil quando se está perdendo peso.

5. Coma comidas frescas:
Elas diminuem o seu nível glicêmico, diminuindo também seu apetite. O nível glicêmico é a quantidade de açúcar que há em seu sangue. Além disso, comer verduras e outras comidas frescas no lugar de comidas processadas é sempre uma opção mais saudável.

6. Mude o seu ambiente de refeições:
O ambiente altera a maneira e a quantidade que você come. Pratos menores fazem com que você coma menos, em porções menores. Também ficou provado que a luz da cozinha pode afetar a quantidade que você come (muita luz ou pouca luz causa ansiedade, o que faz com que você coma mais do que o necessário). Além disso, é válido deixar os alimentos fora da mesa (no fogão) para que repetir fique mais trabalhoso. Deixar a TV ou o rádio desligados também faz com que você preste mais atenção ao que come e não abuse das guloseimas sem pensar duas vezes.

7. Aproveite suas refeições:
Comer devagar, longe da TV, faz com que você aproveite melhor o sabor dos alimentos, coma menos e se sinta satisfeito mais rápido. Negligenciar o horário das refeições e a própria comida faz com que você acabe comendo mais do que o necessário, apenas engolindo o alimento, sem aproveitar a refeição.


Fonte: http://hypescience.com

Técnica simples para ajudar a emagrecer!


Com o tempo torna-se um hábito agradável.

Esta é só para as mulheres que já passaram da menopausa. Recente pesquisa demonstrou que algumas dicas simples funcionam para perder peso – até 10% do peso em um ano. Para quem não quer perder tempo com detalhes, as dicas são:

  • Mantenha um diário, registrando tudo que você come, como foi preparado, etc.
  • Nunca pule uma refeição, principalmente, nunca pule o almoço.
  • Evite comer em restaurantes  com frequência, principalmente no almoço.

A pesquisa feita pela dra. Anne McTiernan e colegas é a primeira a examinar o impacto de uma ampla gama de comportamentos de automonitoramenteo, além de padrões de refeições na mudança de peso entre mulheres com sobrepeso ou obesidade que já estão na menopausa. Outras pesquisas demonstraram que a restrição das calorias totais é mais improtante que a composição da dieta, como dietas de baixa gordura ou de baixos carboidratos, o que levou a dra. Anne a se perguntar quais hábitos e comportamentos ajudam em uma redução do consumo de calorias.

O acompanhamento de 123 mulheres sedentárias e obesas ou com sobrepeso com idades entre 50 e 75 anos durante um ano revelou que aquelas que registravam tudo que comiam perdiam em torno de 2,7 quilos a mais que as que não mantinham diário. Para fazer o diário, qualquer bloquinho de notas serve, ou então um aplicativo on-line que permita o controle das calorias no seu smartphone, mas seja qual for o método usado, o importante é que as seguintes orientações sejam observadas:
  1. Seja honesta:
  2.  – registre tudo que você come.

  3. Seja precisa:
  4.  – meça as porções, leia as etiquetas.

  5. Seja completa:
  6.  – inclua detalhes sobre como o alimento foi preparado, além da adição de coberturas, molhos e condimentos.

  7. Seja consistente:
  8.  – leve seu diário sempre consigo ou use uma aplicação de registro de dieta em seu smartphone, para não deixar de registrar as calorias de nenhuma refeição.

Seguindo estes conselhos, é mais fácil controlar a ingestão de calorias. Além disso, a perda de peso é maior se a alimentação se der em intervalos regulares, sem “pular” nenhuma refeição – principalmente o almoço. Não está bem claro como funciona este mecanismo, mas o estudo apontou que quem “pula” uma refeição perde em um ano 3,6 quilos a menos que quem faz todas as refeições. Além disso, comer frequentemente em restaurantes faz com que se perca 2,26 quilos a menos por ano.


Fonte: http://hypescience.com

domingo, 15 de julho de 2012

Voltando a falar dos exageros: Risco de Câncer e Nitritos, estão muito mais presentes do que imaginamos.

Vamos formar um senso crítico? Para que assim você se torne um consumidor consciente, pois suas escolhas em médio a longo prazo são consequência da qualidade da saúde que você e sua família terão:

Hoje se consome muito mais carne vermelha do que antigamente.

A carne vermelha aumenta os riscos de se desenvolver câncer, já é bem esclarecido que o consumo excessivo de carne vermelha, mais do que 500g de carne vermelha cozida por semana, aumenta em 35% o risco de câncer de intestino grosso e o consumo excessivo de embutidos (presunto, lingüiça, salsicha) aumenta o risco em cerca de 50% de desenvolver este mesmo tipo de câncer. 

Os embutidos ainda aumentam risco de câncer de esôfago e estomago, por conterem muito nitrito que é usado como conservante.

Basta ler o rótulo do alimento em ingredientes, estará escrito "nitrito" na composição.
Entre alguns usos dos nitritos está em conservar a carne, mantendo a cor e inibindo o crescimento de microrganismos, no entanto os nitritos podem formar nitrosaminas que são cancerígenas. 

Nitrosaminas são compostos químicos cancerígenos de estrutura química R2N-N=O, são produzidas a partir de nitritos e  Amina. A sua formação pode ocorrer apenas sob certas certas condições, incluindo condições fortemente ácidas tais como a do interior do estômago humano. 

As nitrosaminas são mais freqüentemente encontradas em alimentos, pesticidas, tabaco, bebidas alcoólicas, medicamentos, cosméticos e no manuseio de máquinas industriais. Portanto, elas são encontradas em diversos gêneros alimentícios, industrializados ou contaminados.

Por consumo direto, os alimentos que contêm maiores quantidades de compostos N-nitroso (nitrosamina) são a cerveja, salsichas, as carnes e os peixes em conserva ou defumados, os queijos, os pescados processados ou cozidos e o toucinho defumado frito (bacon), todos industrializados.


Existe ainda o uso de aromatizantes com gosto de defumado, que aumenta
mais ainda o risco de danos ao material genético de seus consumidores.

Há estudos que associam as nitrosaminas e nitritos com o  risco de câncer em crianças - inclusive o câncer de cérebro. Observou-se um aumento da incidência quando associados com carnes em conserva como presunto, toucinho defumado e salsichas associado a uma alimentação pobre em diversidade de vitaminas naturais.

Por contaminação, encontramos altos níveis de nitritos  nos cereais e no leite. A principal fonte de nitratos na dieta está sendo através dos vegetais e em segundo plano, a água, cuja contaminação é proveniente das atividades agrícolas e industriais. Grandes concentrações de nitratos nos vegetais são, usualmente, conseqüência do uso excessivo de fertilizantes à base de nitrogênio.

Nos cinco primeiros meses deste ano, foram vendidas 9,2 mil toneladas de fertilizantes no Brasil.

Porém, além de nitratos, os vegetais contêm também as vitaminas C (ácido ascórbico) e E (alfa-tocoferol), que têm a propriedade de bloquear a reação de nitrosação (combinação da amina com o nitrito que forma as aminas maléficas). A ingestão de frutas, vegetais frescos e de cereais integrais tem papel fundamental na inibição da formação de compostos N-nitroso, uma vez que estes fornecem, ainda, outras substâncias protetoras. Por isso, entenda, não é "modinha de nutricionista" incentivar o consumo de frutas e fibras, tem um bom motivo.

Outros inibidores da nitrosação reconhecidos incluem uma variedade de compostos polifenólicos (presentes em alguns tipos de uvas e vinhos), aminoácidos (principalmente os essenciais presentes na combinação de arroz e feijão), selênio (castanhas e amêndoas), sulfito (presente em frutas secas, mas não é recomendado para asmáticos) e uréia (fontes proteicas de preferência peixe e soja não transgênica), enquanto que os tiocianatos (comuns em pesticidas e na multimistura), formaldeídos (usados na agricultura, farmácia etc.) e haletos (comuns em solventes, DDT e BHC inseticidas poderosos),  podem catalisar (acelerar) a reação. 

A proteção contra diferentes neoplasias (formação de câncer) é observada através consumo de vegetais, frutas e cereais integrais - particularmente, as de estômago, cavidade oral, esôfago, pulmão, cólon e os tumores de cérebro na infância - tem sido referida por diversos estudo científicos.

Neste caso, precisamos fugir dos agrotóxicos, que entre em outra linha de contaminação, por este motivo é importante optar pelos alimentos orgânicos, ao menos os que estão entre os níveis mais elevados de contaminação (já citado aqui no blog: http://nutrikal.blogspot.com.br/2012/07/alimentos-com-maior-concentracao-de.html)

Se associarmos ao excesso de peso e a obesidade, que também são considerados fatores de risco, teremos taxas altíssimas de se desenvolver sérios problemas de saúde e para alguns tipos cânceres de mama, intestino, próstata e endométrio.



                     O câncer endometrial é um tumor canceroso do endométrio
                    (revestimento do útero), este é o câncer uterino mais comum.

Nestes casos também é comprovado que o consumo de fibras auxilia na prevenção de vários tipos de câncer e na prevenção do câncer de intestino e mama. 


O nível da saúde de hoje é fruto do nosso consumismo exagerado e inconsequente. Procure consumir a quantidade certa para manter sua saúde e busque sempre fontes alimentares mais naturais possíveis, informe-se!


A Saúde é Sua! Aprenda a cuidar Dela!


fonte:

sábado, 14 de julho de 2012

Até tu "Tomatus"?!?


O tomate de mesa foi o maior vilão do aumento de 1,51% no Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR) na primeira quadrissemana de julho.


A cotação do quilo do legume subiu de R$ 24,88, na primeira quadrissemana de junho, para R$ 38,01 no mesmo período de julho, uma alta de na variação de 52,75%.


Registraram elevação na variação de preços: 


- tomate (52,75%),
- batata (26,78%), 
- ovos (11,78%), 
- a carne de frango (10,70%) e
- o trigo (7,74%). 


As crises na citricultura e suinocultura refletiram na queda dos preços dos produtos:


- laranja (- 26,35%), 
- feijão (- 13,60),
- carne suína (-8,01%). 


O preço está deixando consumidores longe das bancadas de tomate: R$ 6,45 kg.


De acordo com os gerentes de mercados, o tomate está caro devido ao clima, que influenciou negativamente na produção.


O preço está tão alto, que compensa ao consumidor levar carne no lugar do tomate. O custo só deve melhorar realmente quando passar o inverno e não houver mais geadas.






fonte:
http://revistagloborural.globo.com
http://catve.tv/noticia

Coisinhas boas sobre: Agnocasto



Outros nomes populares: alecrim-de-angola, agno-casto, árvore-da-castidade, cordeiro-casto, flor-da-castidade, pimenteiro-silvestre, Agnocasto (espanhol, italiano), Arbre au poivre (francês), Chaste tree (inglês), agnocasto, Ajerobo, casto, Gatillo e Sauzgatillo (castellano), Flor d'aloc e Simpla (catalán), Panjusgusht (sánscrito), Ranukabija (hindu), Salitzuqui (vasco).

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Sabia que a baunilha natural vem de uma orquídea?

No geral são quatro os cultivares de Vanilla utilizados para cultivo.
Baunilha (do castelhano vainilla - pequena vagem) é uma especiaria usada como aromatizante, obtida de orquídeas do género Vanilla, nativas do México. Originalmente cultivada pelos povos mesoamericanos pré-colombianos, parece ter sido levada para a Europa juntamente com o chocolate na década de 1520, pelo conquistador espanhol Hernán Cortés.

Quando os espanhóis conquistaram o México, os astecas já aromatizavam o seu "xoco-late" (chocolate quente) com baunilha, prática que o Oriente copiou desde então. Foram os astecas que desenvolveram a técnica de curar as favas, fazendo-as fermentar e secar repetidas vezes para obter a vanilina branca cristalizada, sem a qual as favas não tem sabor.

A vagem de uma orquídea trepadeira que pode atingir até 30 metros de comprimento, a baunilha tem caule cilíndrico, verde, com raízes que surgem ao nível dos nós, para apoio em outros vegetais ou suportes.

Suas folhas são de textura rígida e formato ovalado e suas flores, típicas das orquídeas, são formadas por seis partes.


Favas fermentadas e secas de baunilha.

As melhores favas são flexíveis, mas resistentes, de cor castanho-escura e cobertas por uma camada de cristais aromáticos. Por ser uma especiaria bastante cara, há uma quantidade enorme de imitações em forma líquida no mercado, muitas delas de origem química.

A melhor baunilha vem do México.

As  favas mais saborosas e aromáticas são as cheias e tenras. Evite as que estiverem quebradiças e secas.

Sorvete de baunilha com Baunilha!

A baunilha é a segunda especiaria mais cara, a seguir ao açafrão, devido à mão-de-obra necessária na produção das vagens (sua polinização é totalmente manual). Apesar do custo, é muito apreciada pelo seu flavor, que o autor Frederic Rosengarten, Jr. descreveu em The Book of Spices como "puro, apimentado, e delicado" e pelo seu aroma flroal complexo descrito com um "bouquet peculiar". É usada na em bolos e sobremesas, perfumes, e na aromaterapia.

Fonte:
http://www.closetcooking.com
http://pt.wikipedia.org/wiki/Baunilha
http://claudiaroma.blogspot.com.br/

Você sabia que mel não estraga?



É a única fonte de alimento conhecido que se mantém indefinidamente em sua forma bruta. Na verdade, o arqueólogo T.M. Davies descobriu uma jarra de 3.300 anos de mel em uma tumba egípcia que, para sua surpresa, estava em ótimas condições. 

Durante séculos, o mel foi o adoçante principal em todo o mundo. Relevos egípcios em túmulos do século III a.C. mostram trabalhadores recolhendo mel de colmeias. 

Manuscritos chineses do mesmo período contêm poemas e canções de louvor ao mel e seus muitos usos. Hoje, o mel continua sendo um ingrediente importante na culinária de quase todas as culturas.





Fonte: http://hypescience.com/

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Alimentos orgânicos são mais nutritivos que os convencionais


http://hypescience.com/alimentos-organicos-sao-mais-nutritivos-que-os-convencionais/


Um novo estudo, da Washington State University, aponta que os alimentos orgânicos não são apenas mais nutritivos do que os convencionais, como também fazem bem ao solo onde são plantados.

O número de diferenças nutricionais não é enorme, mas é significativo. Alimentos orgânicos, por exemplo, possuem mais fósforo. O estudo analisou 13 tipos de morangos orgânicos e 13 tipos de morangos convencionais e determinou que os orgânicos são mais saborosos, nutritivos e deixam uma maior variedade genética no solo em que são plantados.

Mais detalhadamente, os orgânicos tinham maiores níveis de antioxidantes, ácido ascórbico e polifenóis. Provadores anônimos experimentaram as diversas variedades de morangos e concordaram que os orgânicos também eram os mais saborosos e tinham uma aparência melhor.

Quando analisaram o solo no qual os morangos eram cultivados, os cientistas concluíram que o solo dos frutos orgânicos tinha uma maior diversidade genética, mais micronutrientes, seqüestrava uma maior quantidade de carbono e tinha uma maior atividade enzimática.


O problema é o preço, ele tem que cair mais para estar acessível à todos os estratos sociais.

Brasileiro engole veneno todos os dias passivamente.

O Veneno Está na Mesa - (Assista na íntegra)
Sinopse:


O Brasil é o país do mundo que mais consome agrotóxicos: 5,2 litros/ano por habitante. Muitos desses herbicidas, fungicidas e pesticidas que consumimos estão proibidos em quase todo mundo pelo risco que representam à saúde pública.



O perigo é tanto para os trabalhadores, que manipulam os venenos, quanto para os cidadãos, que consumem os produtos agrícolas. Só quem lucra são as transnacionais que fabricam os agrotóxicos. A idéia do filme é mostrar à população como estamos nos alimentando mal e perigosamente, por conta de um modelo agrário perverso, baseado no agronegócio.


                                             Data da postagem do vídeo no Youtube:  02/08/2011


Porque tem tanto veneno? Porque brasileiro aceita tudo, engole veneno e morre quieto.



"Sou diabética, e me falaram que não posso comer nada que dá de baixo da terra".


Vamos conversar, de forma bem clara e prática: 

Graças aos avanços médicos, que permitiram detalhar o que acontece com um alimento assim que ele é ingerido, foi possível estabelecer uma tabela com os produtos que aumentam ou diminuem a produção de insulina. Um índice glicêmico baixo é menor do que 55, caso da maioria das frutas, legumes e vegetais. Um índice médio fica entre 56 e 69, caso de grande parte dos cereais matinais, e o índice glicêmico alto é maior do que 70

Já a carga Glicêmica obedece aos seguintes parâmetros:

≤ 10, baixa carga glicêmica
11 – 19 moderada
≤ 20, alta. 

Para entender melhor pode-se dizer que o Índice Glicêmico é a “quantidade de açúcar” que o alimento pode ter e a Carga Glicêmica é a “velocidade que o alimento vira açúcar no sangue”. Portando, mesmo que o Índice Glicêmico seja alto não é preciso privar-se dele se o mesmo tiver a Carga Glicêmica baixa, principalmente se for um alimento rico em fibras; basta ter uma porção ideal no seu cardápio calculado por um bom nutricionista.

Veja essa tabela e comece a comparar:

Atenção, só não deixe que a batata frita te engane, pois além de ser uma preparação que fica com pouca fibra o óleo da fritura pode subir muito a glicose do sangue, é o que chamamos de efeito rebote, demora, mas quando ocorre conversão da gordura para glicose ela rende muito mais, isso porque os lipídios (óleos e gorduras) é a fonte alimentar mais energética, um exemplo:

1g de carboidrato rende 4kcal,
1g de proteína rende 4 kcal e
1g de lipídio rende 9kcal, por isso nada de brincar com eles.

Outra observação é que quanto mais madura a fruta maior é o seu índice glicêmico e seu potencial de elevar a carga glicêmica, no geral o ideal é associá-la com uma fibra integral.

No geral a fibra integral dita à velocidade da conversão de açúcar no sangue, quanto menor a concentração de fibra, mais rápido esse alimento irá se transformar em “açúcar no sangue”.

Portanto dê preferência aos alimentos integrais, com baixo índice e carga glicêmica, pois, quanto mais baixo o IG, mais lento e estável é o aumento da glicemia. Resultado: o nível de açúcar no sangue também fica estável, mantendo a energia alta e a fome à distância.

Fonte:
3 - Tabela Internacional de Índice Glicêmico (IG) e Carga Glicêmica (CG) – Revisada – 2002
4 - ÍNDICE GLICÊMICO E CARGA GLICÊMICA: APLICABILIDADE NA PRÁTICA. CLÍNICA DO PROFISSIONAL NUTRICIONISTA; Camila Melo Araújo de Moura1,2, Soraya Almerinda Costa1,2, Francisco Navarro 1 Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo v.1, n. 6, p. 01-11, Nov/Dez. 2007. ISSN 1981-9919.